Sábado, 17 de novembro de 2018 | 00:53 Expediente | Anuncie Aqui
Buscar notícia
Educação
Enem contou com trabalho de mais de 600 mil pessoas
Publicado em 06/11/2017 | 06h36m
 

Brasília
Mais de 600 mil pessoas trabalharam para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, entre aplicadores de prova, coordenadores e agentes de segurança. A primeira prova aconteceu domingo, 5, com questões de linguagens e ciências humanas, além da redação. No dia 12 de novembro será a vez das provas de ciências da natureza e matemática. Mais de 6.730.000 de pessoas estão inscritas para fazer o exame.

O Enem foi realizado em 1.725 municípios. A aplicação das provas foi feita por 197 mil chefes de sala e 195 mil aplicadores, que atuaram em conjunto. Para atender as necessidades dos participantes que solicitaram recursos de acessibilidade, foram 12,7 mil aplicadores especializados. Outros 67 mil fiscais de banheiros ficaram responsáveis pela vistoria com os detectores de metais.

O exame também teve 54 coordenadores estaduais, 1.793 coordenadores municipais, 13.880 coordenadores de locais de prova e outros 22.020 assistentes locais de prova. Cerca de 40 mil professores da rede pública e servidores públicos foram capacitados para representar o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) nos locais de aplicação, fazendo a conferência da abertura do lacre dos malotes com prova.

Também estiveram envolvidos no processo 41 mil funcionários dos Correios, que trabalharam na distribuição das provas e a logística reversa, que envolveu o transporte dos cartões-resposta e das folhas de redação dos locais de prova até a estrutura de correção do consórcio aplicador. Na operação reversa, foram 200 colaboradores da Fundação Getúlio Vargas e 500 da Fundação Cesgranrio.

Responsável pela correção das redações, a Fundação Vunesp contará com 9 mil professores. Também haverá cerca de 500 servidores do Inep trabalhando no processo, com representantes em todos os estados.

Segurança
Cerca de 23 mil agentes de segurança pública trabalharam na segurança do exame, fazendo a escoltas das rotas, de distribuição e da operação reversa; na vigilância dos locais de armazenamento e no monitoramento dos processos no período da aplicação. O Enem reuniu o Exército Brasileiro, a Marinha do Brasil, a Força Aérea Brasileira, a Polícia Militar, a Polícia Civil, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, o Corpo de Bombeiros Militar e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

A segurança do Enem 2017 contou com a atuação do Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), com sede em Brasília, além de 12 Centros Integrados de Comando e Controle Regional (CICCR), com sede nas cidades que sediaram a Copa 2014; e com 15 centros de operações localizados nos demais estados brasileiros.

 
 
Leia também
• Jogos Universitários devem levar 4 mil atletas a Maringá
• Tema da redação é atual, mas aluno deve ter foco, dizem especialistas
• Mais de 1,5 milhão de estudantes participam da Olimpíada de Matemática
> Mais notícias
Jornal VALESULONLINE - Notícias da Região Sul Fluminense - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por LogoMidia